Blogger templates

6 de maio de 2011

Escolas dão lição de superação

Unidades municipais em áreas de risco conquistam os melhores lugares em provões

POR MARIA LUISA BARROS

Rio - Cercados por pobreza e violência, estudantes de escolas municipais situadas em áreas de risco dão uma lição de superação e conquistam os primeiros lugares na Prova-Rio e Alfabetiza Rio, avaliações aplicadas a 195 mil alunos do 1º, 3° e 7° anos do Ensino Fundamental, pela Secretaria Municipal de Educação, com o objetivo de medir o nível de aprendizagem em Matemática e Português.

resultado divulgado ontem pela secretária Claudia Costin revelou que 12 das 16 unidades com os melhores desempenhos estão localizadas em favelas das zonas Norte e Oeste. É o caso do Ciep 1º de Maio, entre as comunidades do Rola e Antares, em Santa Cruz, que obteve 8,8, a maior média geral do 3º ano do Ensino Fundamental da Prova Rio, à frente de 756 escolas. O Ciep já havia ganho, em 2009, o primeiro lugar no simulado para a Prova Brasil.

Outros dois colégios — E.M.Prefeito Djalma Maranhão, no Morro do Vidigal, Zona Sul, e E.M. 4º Centenário, no Complexo da Maré, Zona Norte — conquistaram os primeiros lugares em Português e Matemática, respectivamente, no Alfabetiza Rio. Seus alunos tiraram 8,9 e 8,7, nas duas disciplinas, competindo com 53 mil alunos. A média da rede foi 6.

De acordo com a avaliação, cerca de 80% dos alunos da rede, ou seja, cerca de 33 mil crianças chegam ao final do 1° ano alfabetizados. “Vamos trabalhar em cima dos 20% que não estão alfabetizados. Eles terão reforço escolar do programa ‘Nenhuma criança a menos’, para que cheguem alfabetizados ao final do 2° ano”, disse Costin, que comemorou o pequeno avanço na Prova Rio. Em 2009, a rede teve como média geral nota 5 no 3° e 7° anos. Já em 2010, essa média foi de 5,2 no 3° ano e de 5,0 no 7° ano. “Os resultados são conquistados em longo prazo. Mas estamos no caminho certo”, disse a secretária.

A Prova Rio vai gerar o Índice de Desenvolvimento da Educação do Rio (IDE-Rio), que servirá de base para a premiação anual dos professores e funcionários das escolas a partir deste ano.

Escolas com os melhores resultados

CAMPEÕES DO 3º ANO

O primeiro lugar ficou com o Ciep 1º de Maio, localizado na favela do Antares, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio. A escola elevou a média de 5,2 (2009) para 8,8 (2010). A segunda posição foi para o Ciep Glauber Rocha, com 7,8. Em 2009, a escola situada entre as comunidades da Pedreira e Lagartixa, em Costa Barros, havia tirado 5,9. Em terceiro, ficou a E. M. Arthur Azevedo, na Pavuna, Zona Norte, cuja pontuação subiu de 5,7 (2009) para 7,7.

VENCEDORES DO 7º ANO

O melhor desempenho foi o da E. M.Roberto Burle Marx, em Jacarepaguá, Zona Oeste, que, apesar de a média ter caído de 6,9 (2009) para 6,4 (2010), manteve a liderança. A segunda posição foi conquistada pela E. M. Pedro Bruno, em Paquetá. Os alunos tiraram 6,4 no exame. Há dois anos, a média havia sido de 5,5. Em terceiro, ficou o CIEP Lindolpho Collor, em Rio das Pedras, Zona Oeste, que elevou a média de 5,3 para 6,1.

Passeata amanhã lembrará crianças mortas

Pais, alunos e professores da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste da cidade, seguirão em passeata, amanhã, pelas ruas do bairro para lembrar as 12 crianças mortas, há um mês, pelo atirador Wellington Menezes. As famílias vão apoiar a Campanha Nacional de Desarmamento, que será lançada hoje pelo governador Sérgio Cabral no Palácio da Cidade.

Pais de alunos da escola se queixam da demora na assistência dada por psicólogos da prefeitura, que estão priorizando o atendimento a 50 casos de transtorno de estresse pós-traumático e depressão. A secretária Claudia Costin esteve ontem no colégio para conversar com as famílias, que também reclamam da falta de aulas. Dois alunos permanecem internados. Um jovem está no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia e uma menina, no Hospital estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna.

Fonte: O DIA
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre esse texto!

Reflexão




"O professor só pode ensinar quando está disposto a aprender"




"Não existe saber mais ou saber menos. Existem saberes diferentes!" (Paulo freire)